sábado, dezembro 31

Então é isso, 2016.

Sei que parece clichê, mas de fato, 2016 passou voando.

Foi fácil? Não, não foi. Pro mundo de maneira geral, para o Brasil, o universo e tudo o mais, não, não foi.  Mas pra mim? Foi tranquilo, dentro da tranquilidade que uma vida pode ter.

Tenho a sensação de que tudo que passei nos últimos anos, principalmente em 2015 me preparou para a catástrofe se aproximando em 2016. Certamente, eu estava- ainda estou- fortalecida.  Chegar ao fim de um ano e começar a rever tudo que aconteceu e perceber que lidamos com aquilo sem estresse, sem choros descontrolados, sem crises de ansiedade, sem compulsões é no mínimo reconfortante.

2016 começou me desestabilizando, me levando pra trabalhar num lugar que eu não conhecia, mas eu encarei o desafio, e agora finalizo 2016 ansiando por um 2017 cheio de novidades no plano profissional, quanto mais diferente melhor!

Também me dediquei mais a estudar, e olha, não foi fácil, estudar igual a uma doida, passar mal, ter febre, e claro, ter que lidar com falha me fez balançar, fez duvidar de mim. Mas aí o tempo passa e tu percebe que tudo que precisa é um pouco mais de tempo, que tudo vem, e 2017 tá logo ali pra gente tentar de novo.

Em 2016 comecei oficialmente a morar sozinha, e com isso mais um monte de pressões dessa vida adulta que bate a porta mesmo eu dizendo pra ela que ainda nem cheguei nos 25, mas eu soube lidar? Soube. Tava preparada? Tava. To adorando ? To. Tendo um mini ataque quando vejo que o condomínio custa metade do meu salário? To também.

2016 foi o ano das separações, dos términos, só que pra mim, só teve amor e mais amor. Não há do que reclamar nesse quesito, que só melhora com o tempo.

Em 2016 definitivamente me senti mais próxima dos meus amigos, da minha família, e isso é sempre uma vitória.

E a saúde, também teve tropeços nessa área. Comecei o ano decidida a mudar, voltar a ter hábitos saudáveis, e olha, levou tempo, ainda não estou totalmente correta, mas definitivamente muito mais saudável que em 2015, mesmo com uma condromalácia descoberta, mesmo com os quilos a mais que insistem em ficar, continuo tendo a saúde para fazer tudo que gosto, tudo que quero. Sem nenhuma limitação. E o melhor, aprendendo a agradecer por isso.

Daí em 2016 também teve coragem. Coragem de encarar o novo, de seguir em frente, de mudar, de investir, de tirar um pouco os pés do chão. Cortei o cabelo, curto, como eu desejava a muuuuuito tempo, e foi definitivamente  renovador. É engraçado como uma coisa simples como um novo corte de cabelo muda nossa forma de encarar a vida. Meu estilo mudou um pouco com isso também.

Continuo na busca por uma vida mais minimalista, mas ecofriendly, mais leve de maneira geral.

Reconquistei a vontade de aprender, de ler, e to tentando voltar a escrever.

Não vamos mentir, teve perdas, minha cachorrinha desapareceu, meu nono faleceu. Eu poderia odiar 2016 por esses fatos tristes que ele me trouxe, mas prefiro pensar em todos os aprendizados que isso me dá, em todas as boas lembranças deixadas. Sei que começarei 2017 mais forte, cheia de esperanças. Tendo cada vez mais certeza de que nada acontece por acaso, que tudo tem seu tempo e que encarar tudo com positividade sempre ajuda.

Tchau 2016, obrigada por tudo.




quarta-feira, agosto 3

Há 5 anos...

Cinco anos atrás, eu disse para o meu irmão que iria dormir na casa da Raysa e saí. Eu de fato iria dormir na casa da Raysa, só omiti a parte de que antes iria no cinema com um garoto da faculdade com quem eu vinha saindo há alguns dias.  Eu não sabia dizer ao certo no que aquilo iria dar, eu só sabia que realmente gostava de sair com ele, que ele fazia um calorzinho crescer dentro do meu peito, e meu rosto esboçar sorrisos sinceros.

Cinco anos atrás, nós assistimos algum filme (não, lembro qual, será que dormi?), eu comi doritos e toblerone, depois caminhamos até o terminal,  já era tarde, mas a gente não se importava de caminhar, assim a noite se estendia um pouco mais.. 

Sentamos num daqueles bancos, ficamos conversando, esperando pelo meu ônibus, no meio da conversa, com minha mão cheia de farelos, ele, como não quem não quer nada, fez uma perguntinha inocente: Você quer namorar comigo?

E eu só conseguia pensar nos farelos de doritos na minha mão. 

Sim, eu disse sim. 

Depois, enquanto eu ia embora (no ônibus errado, aliás), eu só conseguia pensar naquilo.





Cinco anos se passaram desde essa noite.  Muita coisa mudou, eu me acostumei a ter ele como meu namorado - e melhor amigo. Acostumei com o melhor abraço do universo. E aprendi a sonhar com ele.  A gente cresceu junto. teve muito choro, teve muita risada, muita cosquinha, teve sorrisos, conhecemos lugares, amamos um ao outro, vivemos um dia - a - dia  mais colorido e cheio de amor, em cinco anos não passamos uma noite sequer sem ouvir a voz do outro dizer boa noite, mesmo quando eu estou dormindo e não lembro de nada direito no dia seguinte. 

Muito mudou nesse tempo, muito mudou em mim, muito mudou nele, muito mudou na gente.. mas, eu continuo amando doritos, me perdendo nos ônibus, e amando a forma como ele faz eu me sentir, afinal, certas coisas nunca mudam. 


terça-feira, março 1

Em fevereiro...

Não sei bem o que aconteceu em fevereiro, foi assim, uma loucura de acontecimentos.

Sei que teve carnaval, que aproveitei pra descansar um pouco mais...

Também teve visita dos amigos gaúchos, passeios, festinhas e tudo o mais..

Comecei a trabalhar e isso meio que está sugando meu tempo e energia e me deixando frustada com algumas coisas que não consigo fazer...

Teve bastante alegria, mas ao mesmo tempo bastante chororô.

Na verdade, foi um mês rápido e conturbado. Mas ainda assim leve de levar..

Agora vem março, as temperaturas dão uma amenizada e assim não fico tão cansada. Borá lá, que não dá pra ficar aqui se lamentando, dá?

quarta-feira, fevereiro 3

Em Janeiro...

Teve muito pé na estrada, na verdade, foram poucos os dias em que eu de fato fiquei na minha casa. Não que eu esteja reclamando, mas agora quero aproveitar o restinho das férias na minha casinha, organizando minhas coisas.

Teve uma tentativa relativamente bem sucedida de fazer exercícios todos os dias. Ok. Por conta das viagens nem todos os dias, mas grande parte, então estou feliz.

Foi um mês bem jovem, no espírito da coisa, saí bastante, dancei bastante, bebi bastante (mais do que devia inclusive, já que meu corpitcho já não é tão jovem)

Teve mudanças capilares! Pela primeira vez na vida tomei coragem de fazer alguma mudança química no cabelo e resolvi ousar com um ombré cinza, que na verdade nem ficou tão ousado assim, mas ficou bem bonito, curti bastante. Pena que já desbotou :(

Teve muito, muito Gui <3 Tanto tempo viajando juntos me deixa mal acostumada, querendo ter ele juntinho todos os dias.

Foi um mês de muitos planos, muitas ideias, mas pouca execução. Faltou tempo pra tanta eferverscência, mas tenho ainda mais dez dias de férias pra tentar organizar todas essas ideias.

Janeiro passou voando! Mas foi bem aproveitado, mesmo que cansativo.




terça-feira, janeiro 5

Quem eu quero ser em 2016.

Este não é um post de metas, porque não gosto de colocar metas. Mas é um post de inspiração, um guia reflexivo, pra que eu volte, leia, lembre, repense, reconstrua. É um post de planejamento, vamos dizer assim.


  • Eu quero ser uma pessoa que conhece lugares. 
Uma das coisas mais legais que aconteceram neste ano que passou foi que eu viajei mais. Conheci lugares diferentes, então, neste ano que se incia, eu quero ser uma pessoa que conhece lugares. Não só viajar, mas explorar mais aqui mesmo onde eu moro, olhas os mesmos lugares com novos olhos, ser uma exploradora do mundo.

  • Eu quero ser uma pessoa que se dedica às artes manuais.
Apesar de gostar muito do lettering, caligrafia e um tanto de desenho. E por vezes me empolgar, não evoluo muito pois não dedico tempo a isso. Acho que é um hobbie que eu preciso me dedicar um tanto mais pra ter resultados mais felizes. 

  • Quero ser uma pessoa aberta à espiritualidade.
Não sou praticante de nenhuma doutrina ou religião, mas gosto de me manter aberta às diferentes interferências espirituais, quero continuar assim este ano.

  • Eu quero ser uma pessoa que se exercita todos os dias.
Quero ter este hábito em mim, quero ser uma pessoa que se exercita todos os dias, para ter mais saúde e disposição.
  • Quero ser uma pessoa que tem um bom relacionamento com a comida.
Se teve algo preocupante no ano que passou foi o meu relacionamento com a comida. Passei muito tempo me sentindo culpada por comer, e muito tempo me recompensando com comida. Hábitos que já existiam mas que tomaram uma proporção preocupante esse ano. Então, agora, quero ter um bom relacionamento com a comida. Sem recompensas, sem culpas. 

  • Quero ser uma pessoa mais minimalista.
Uma das coisas que mais me modificou em 2015 foi começar a ter um pensamento mais minimalista. Consequentemente mais organizado, mas leve. Então para este ano quero ser uma pessoa que se aprofunda neste estilo de vida. Sem radicalismos. Apenas leveza.

  • Quero ser uma pessoa ecologicamente consciente.
Ainda na vibe de viver em paz com a comida e ser minimalista, eu também quero ser ecologicamente mais consciente, comer coisas melhores produzidas, produzir menos lixo, comprar de indústrias locais, refletir sobre a origem e destino de tudo que consumo. 

  • Quero ser uma pessoa gentil.
Isso é algo que eu comecei a ser ano passado, pelo menos conscientemente falando. Eu quero ser uma pessoa gentil com os outros, e principalmente gentil comigo mesma.

  • Eu quero ser uma pessoa que bloqueia pessoas tóxicas.
Infelizmente, o que mais me estressa no dia a dia são pessoas tóxicas, pessoas pessimistas, pessoas que fazem e repercutem intrigas. Este ano quero ser uma pessoa que bloqueia isso.

  • Eu quero ser uma pessoa que tira os planos do papel.
Passei dois anos pensando e criando planos, coisa que achei muito importante pro meu amadurecimento, mas esse ano finalmente me sinto preparada pra mudanças profissionais, então, eu quero ser essa pessoa que tira planos do papel.

  • Eu quero ser uma pessoa que prioriza seus relacionamentos.
Um dos meus maiores "defeitos" é o fato de eu esquecer de me relacionar com as pessoas. Eu sou uma pessoa introvertida, portanto tenho bastante dificuldade de fazer e de manter amizades. Mas reconheço que tenho pessoas incríveis na minha vida. Então, esse ano, quero priorizar relacionamento. Quero estar mais próxima da minha família, quero ver mais meus amigos, quero passar mais tempo com quem eu amo.

  • Quero ser uma pessoa que inspira outras pessoas.
Eu tenho a tendência de ser influenciada por outras pessoas mais do que eu influencio. Isso acaba me tirando do foco. Então, para esse ano, eu quero ser uma pessoa que inspira outras pessoas a serem o melhor de si mesmas. Não ser influenciada, nem influenciar, Apenas inspirar e ser inspirada,