sábado, dezembro 31

Então é isso, 2016.

Sei que parece clichê, mas de fato, 2016 passou voando.

Foi fácil? Não, não foi. Pro mundo de maneira geral, para o Brasil, o universo e tudo o mais, não, não foi.  Mas pra mim? Foi tranquilo, dentro da tranquilidade que uma vida pode ter.

Tenho a sensação de que tudo que passei nos últimos anos, principalmente em 2015 me preparou para a catástrofe se aproximando em 2016. Certamente, eu estava- ainda estou- fortalecida.  Chegar ao fim de um ano e começar a rever tudo que aconteceu e perceber que lidamos com aquilo sem estresse, sem choros descontrolados, sem crises de ansiedade, sem compulsões é no mínimo reconfortante.

2016 começou me desestabilizando, me levando pra trabalhar num lugar que eu não conhecia, mas eu encarei o desafio, e agora finalizo 2016 ansiando por um 2017 cheio de novidades no plano profissional, quanto mais diferente melhor!

Também me dediquei mais a estudar, e olha, não foi fácil, estudar igual a uma doida, passar mal, ter febre, e claro, ter que lidar com falha me fez balançar, fez duvidar de mim. Mas aí o tempo passa e tu percebe que tudo que precisa é um pouco mais de tempo, que tudo vem, e 2017 tá logo ali pra gente tentar de novo.

Em 2016 comecei oficialmente a morar sozinha, e com isso mais um monte de pressões dessa vida adulta que bate a porta mesmo eu dizendo pra ela que ainda nem cheguei nos 25, mas eu soube lidar? Soube. Tava preparada? Tava. To adorando ? To. Tendo um mini ataque quando vejo que o condomínio custa metade do meu salário? To também.

2016 foi o ano das separações, dos términos, só que pra mim, só teve amor e mais amor. Não há do que reclamar nesse quesito, que só melhora com o tempo.

Em 2016 definitivamente me senti mais próxima dos meus amigos, da minha família, e isso é sempre uma vitória.

E a saúde, também teve tropeços nessa área. Comecei o ano decidida a mudar, voltar a ter hábitos saudáveis, e olha, levou tempo, ainda não estou totalmente correta, mas definitivamente muito mais saudável que em 2015, mesmo com uma condromalácia descoberta, mesmo com os quilos a mais que insistem em ficar, continuo tendo a saúde para fazer tudo que gosto, tudo que quero. Sem nenhuma limitação. E o melhor, aprendendo a agradecer por isso.

Daí em 2016 também teve coragem. Coragem de encarar o novo, de seguir em frente, de mudar, de investir, de tirar um pouco os pés do chão. Cortei o cabelo, curto, como eu desejava a muuuuuito tempo, e foi definitivamente  renovador. É engraçado como uma coisa simples como um novo corte de cabelo muda nossa forma de encarar a vida. Meu estilo mudou um pouco com isso também.

Continuo na busca por uma vida mais minimalista, mas ecofriendly, mais leve de maneira geral.

Reconquistei a vontade de aprender, de ler, e to tentando voltar a escrever.

Não vamos mentir, teve perdas, minha cachorrinha desapareceu, meu nono faleceu. Eu poderia odiar 2016 por esses fatos tristes que ele me trouxe, mas prefiro pensar em todos os aprendizados que isso me dá, em todas as boas lembranças deixadas. Sei que começarei 2017 mais forte, cheia de esperanças. Tendo cada vez mais certeza de que nada acontece por acaso, que tudo tem seu tempo e que encarar tudo com positividade sempre ajuda.

Tchau 2016, obrigada por tudo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário